sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Pregação com fundo musical?

Autor: Pr. Ciro Sanches Zibordi

O que mais irrita um ensinador ou pregador da Palavra além dos famigerados fundos musicais não solicitados? Músicos tocando guitarra — mesmo desligada — durante a explanação das Escrituras! Isso, aliás, é uma falta de reverência e uma deselegância sem tamanho, não é mesmo?

Penso que a falação dos levitas (levitas?) — a qual muitos chamam de ministração — durante o momento de louvor (louvor?), bem como os aludidos fundos musicais durante a explanação da Palavra (a qual se torna cada vez mais sucinta, para não cansar os ouvintes) e outras inovações são o prenúncio de que, em breve, a exposição simples das Escrituras não será mais bem-vinda no evangelicalismo moderno.

Por graça de Deus, prego o Evangelho desde 1988 — não me pergunte qual é a minha idade! Conheci, por causa do ministério que o Senhor me outorgou, o qual envolve itinerância, famosos preletores de congressos e escolas bíblicas. Com o passar do tempo, muitos deles começaram a valorizar mais a forma, em detrimento do conteúdo. Ou seja, optaram por priorizar o malabarismo, a animação de auditório e outras técnicas mecanicistas, inclusive a adoção de fundos musicais (!), visando a uma suposta "colheita imediata" (muitas vezes, financeira), e não ao "plantio da boa semente" (a Palavra de Deus).

Outros expoentes igualmente famosos — poucos — não aderiram aos modismos e continuaram priorizando a exposição das Escrituras com autoridade e simplicidade. Acabaram perdendo espaço, alguns por iniciativa própria, ao se tornarem seletivos. Em seguida, passaram a ser considerados "apologistas" ou "críticos", em razão de verberarem contra heresias e modismos prevalecentes no meio do povo de Deus. À luz das Escrituras, qual dos dois grupos tem agradado a Deus? E, ao mesmo tempo, qual dos dois grupos é tido como saudosista e desatualizado? Antes de responder a essas indagações, medite em Atos 5.29 e Gálatas 1.10: "Mais importa obedecer a Deus do que aos homens"; "Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo".

"Aviva, ó Senhor, a tua obra" (Habacuque 3.2).


http://cirozibordi.blogspot.com.br/